A Direcção-Geral do Património Cultural vai propor ao Governo a alteração da classificação do conjunto constituído pela Igreja e antigo Convento de São Francisco e pela Fábrica Robinson «de forma a abranger todas as estruturas fabris, incluindo o património móvel integrado».

O anúncio de abertura do procedimento de alteração da classificação do conjunto, que se encontra actualmente classificado como conjunto de interesse público, foi publicado esta quarta-feira, dia 9, em Diário da República.

No documento lê-se que o conjunto dispõe de uma zona especial de protecção (ZEP), sendo que os elementos relevantes do processo, como a fundamentação, o despacho, a lista do património móvel integrado a classificar e a planta do conjunto e da respectiva ZEP, estão disponíveis nas páginas electrónicas da DGPC, da Direcção Regional de Cultura do Alentejo e do Município de Portalegre.

O Partido Ecologista “Os Verdes”, que em 2019 anunciou o pedido de classificação do espólio da antiga corticeira Robinson na DGPC, já veio a público «regozijar-se» com o anúncio do pedido de alteração da classificação.

«A proposta de hoje, que Os Verdes esperam que venha a ser aprovada pelo Governo, é o reconhecimento pela tutela da Cultura do valor patrimonial de excelência que este espólio representa e é mais um passo para salvar a Robinson e devolver este património aos portalegrenses e a todos os que ali trabalharam», lê-se num comunicado enviado à nossa redacção.

Mais Notícias