Os edifícios do Café Alentejano e Crisfal, o Tribunal, o Bairro da Vila Nova, a Escola de São Lourenço, a Quinta do Bonfim ou o Palácio Póvoas. São estes alguns dos edifícios que constam da lista, que inclui cerca de 40 imóveis, que vão iniciar o processo de classificação de Monumentos de Interesse Municipal.

O início do processo de classificação foi deliberado por unanimidade na reunião do executivo municipal, realizada esta quarta-feira, dia 8, sendo que o objectivo desta medida é a «protecção e valorização» dos imóveis, cerca de 40, identificados e/ou propostos.

A lista inclui o edifício da Fábrica Real e Colégio de São Sebastião, o Palácio Accioli, a Igreja de São Cristóvão, no Atalaião, a Igreja de Sant´Ana, o Paço Episcopal, a Igreja de São Lourenço, a Capela do Espírito Santo, o Mural do Parque de São Pedro, o  Tribunal de Portalegre, o edifício do Café Alentejano, o edifício do Crisfal, a Cisterna da Antiga Real Fábrica de Tapeçarias, o Convento de Santo António, o Edifício da Segurança Social, o Edifício da Escola de Hotelaria e Turismo, a Igreja de Santo António, nos Assentos, a Torre de Vigia/Atalaia, no Atalaião, o Bairro da Vilanova, a Capela de São Mateus, a  Sede do Clube de Ténis, o  edifício da Caixa Geral de Depósitos, antigo edifício dos Correios, Telégrafos e Telefones, a Escola Comercial e Industrial de Portalegre/Escola Secundária de São Lourenço, o Palácio Póvoas, a  Quinta do Bonfim, o Sanatório de Portalegre, a Estação Ferroviária de Portalegre,  Igreja de Santiago de Caiola/Igreja de São Tiago, na Urra, o Monte dos Apóstolos, na Urra, a Praça de Touros de Portalegre, as Igrejas do Senhor dos Aflitos, de São Domingos e de São Sebastião, nos Fortios, o Monte da Almojanda, o Convento de São Francisco, em Ribeira de Nisa, o antigo Mosteiro de São Mamede (ruínas), a Igreja de São Gregório  Reguengo e a Quinta da Lameira, em Reguengo, e, na freguesia de Alegrete, a Capela da Santa Casa da Misericórdia, a Igreja de São João Baptista, a Torre do relógio, a Capela de São Pedro (ruínas)  e a Igreja da Senhora da Lapa e Pinturas Rupestres.

«Esta lista inclui imóveis propostos para classificação no PDM de 2011, apresentados pelos seus proprietários e por munícipes, em reunião de Câmara e também por técnicos do município», explica o município em comunicado, adiantando que «este processo será enviado para a Direcção-Geral de Cultura do Alentejo, para efeitos de parecer, e posteriormente será iniciado um processo de consulta pública, com audiência dos interessados. Apenas depois de decorrido todo este processo, se considerará a classificação como Monumento de Interesse Municipal (MIM)».

Já este ano ficaram concluídos os processos de classificação dos Antigos Paços de Concelho, da Casa Museu José Régio, do Museu Municipal de Portalegre, do Convento de Santo Agostinho e do Sindicato dos Corticeiros, e no ano passado, do Teatro Portalegrense.

«Com a classificação destes imóveis como Monumento de Interesse Municipal, a Câmara Municipal de Portalegre continua a dar passos essenciais para a salvaguarda do nosso património comum», refere a autarquia.

Mais Notícias