Uma breve análise ao mercado imobiliário no mês de Maio de 2020 revela já alguns dos efeitos da pandemia e do abrandamento económico provocado pela mesma. Os valores fornecidos pelo portal imobiliário de referência Imovirtual revelam as maiores subidas e descidas deste período conturbado.

Portalegre está por definição colocado na categoria dos preços médios de compra e venda mais baixos a nível nacional, uma tendência que impactou também e em larga medida o mercado de arrendamento local.

Panorama Nacional do Mercado de Compra e Venda

A nível nacional, o mercado de compra e venda assistiu a uma quebra global de -0,8% entre Abril e Maio de 2020.

Ainda assim, distritos como Vila Real obtiveram um crescimento de 4% que coloca o seu preço médio de compra e venda em €182.160. Lisboa continua a ser o distrito onde é mais caro comprar casa com um valor médio de €592.709 representando -0,7% do que em Abril.

Guarda e Beja crescem neste segmento com 1,3% e 1.6% respetivamente (€124.678 e €130.151), porém Portalegre assiste a uma quebra de -1.3% vendo o preço passar de €137.186 para €135.454 no mesmo período.

Mercado de Arrendamento em Queda em Portalegre

No panorama nacional, o mercado de arrendamento caiu 1% no período observado, tendo Portalegre registado a quebra mais acentuada na ordem dos -10%. O preço médio de arrendamento, de si já fixado entre os distritos onde é mais barato arrendar em Portugal, caiu de €368 para €331 num único mês.

Esta é uma tendência que já se vem a observar no período que separam Maio de 2019 de Maio de 2020. A quebra é de uns incontornáveis -42% de €574 para os já mencionados €331.

Todos os preços médios de arrendamento viram uma descida acentuada em Junho de 2019 com oscilações moderadas a partir desse ponto.

Perspetiva Futura e Oportunidades

Os números apresentados não dão margem para grande otimismo imediato no que se refere quer ao mercado de arrendamento, quer ao mercado de compra e venda em Portalegre.

Ao olharmos para o mercado de compra e venda entre Maio de 2019 e 2020, a queda foi também a mais acentuada a nível nacional com -19,7% passando de um preço médio de €168.658 para €135.454.

Com uma crise de dimensão ainda desconhecida e seguramente um período de recuperação que é igualmente incógnito, o panorama do mercado imobiliário em Portalegre em particular não se apresenta como particularmente promissor.

A resposta poderá passar por implementar políticas de incentivo de forma a estimular as regiões situadas no interior do país, nomeadamente através de incentivos para famílias e a captação de um mercado laboral remoto em franco crescimento, oferecendo igualmente boas condições de acesso a tecnologia.

Se Portalegre conseguir apostar nesta transição tecnológica e atrair toda uma geração que vê agora o conceito de trabalho mudar radicalmente, poderá reverter rapidamente esta tendência de quebra e reinventar-se, nomeadamente fazendo-se tornar atrativa precisamente pelos baixos preços atuais de compra e venda ou arrendamento extremamente acessíveis.

Mais Notícias