São 70 apartamentos no coração de Portalegre, num verdadeiro condomínio de luxo com piscinas no topo, ginásio, campo de padel, sala de condomínio apetrechada para eventos, áreas de lazer e muito mais na antiga Fábrica Real, num projecto que envolve a proprietária do espaço, Alexandra Sequeira, o ateliê do arquitecto Mamede da Fonseca e a construtora Damião & Belo.

Todo o espaço da antiga Fábrica Real, incluindo o Cine-Parque, vai dar lugar a um empreendimento habitacional de luxo, cujo ante-projecto já conta com o parecer prévio aprovado pela Câmara.

O grande empreendimento que promete dar nova vida ao centro da cidade de Portalegre apresenta-se com cerca de 70 apartamentos de grande qualidade, piscinas na cobertura, espaços de lazer e espaços comuns.

O espaço é propriedade de Alexandra Sequeira, o projecto é do ateliê do arquitecto Mamede da Fonseca, e a construção deverá ser da responsabilidade de Damião & Belo.

Alexandra Sequeira disse ao nosso jornal que se trata de «um condomínio como não há nada parecido» na cidade, que é uma «urbanização de grande qualidade» e constitui-se como uma «alternativa a tudo quanto existe» em Portalegre.

O empreendimento não contempla espaços comerciais, ou seja, potencia todos quantos já existem na área de comércio tradicional em redor, mas conta com ginásio, piscinas, campo de padel e uma sala de condomínio com todas as infra-estruturas que pode ser utilizada para festas.

Ainda falta decidir vários pormenores e não há um contrato formalizado mas Alexandra Sequeira assegura que em princípio a operação resultará de «uma parceria» com a empresa «Damião & Belo».

Estamos, pois, perante a reabilitação de uma grande área que é um espaço nobre no coração da cidade, num local tranquilo mas perto de tudo na traseira do monumental edifico que é a actual Câmara Municipal (antigo Colégio de S. Sebastião). Este espaço encontra-se actualmente degradado, pois as áreas ocupadas têm «rendas muito antigas», e não é possível reabilitar toda a área sem ser através de uma grande intervenção de raiz, como a que está agora a ganhar asas.

A opção passa então por uma parceria que envolve a proprietária do terreno, o ateliê de arquitectura e a empresa construtora, pois «eu não sou construtora nem quero ser», assume Alexandra Sequeira que adianta que se tudo correr conforme previsto, esta grande obra portalegrense poderá ter início entre o final deste ano e o princípio do próximo.

Mais Notícias